sábado, 8 de abril de 2017

COMEMORAÇÕES DOS 500 ANOS DO FORAL

Correio do Minho de 2017-04-08
Diário do Minho de 2017-04-08

quarta-feira, 29 de março de 2017

PRÉMIO MANUEL MONTEIRO


ENTREGA DO PRÉMIO DE HISTÓRIA LOCAL




segunda-feira, 27 de março de 2017

Sessão de atribuição da I edição do Prémio Manuel Monteiro

Convite


Á Comunidade Académica,
O Município de Braga entrega amanhã, dia 28 de março, Dia dos Centros Históricos, o Prémio de História Local Dr. Manuel Monteiro que pretende honrar a memória deste ilustre escritor, arqueólogo, etnólogo, magistrado, diplomata e crítico de arte bracarense.
O bracarense José Carlos Gonçalves Peixoto com a obra “Memórias do Couto de Tibães” é o galardoado da primeira edição deste prémio que nasceu com o propósito de “fomentar o interesse dos investigadores pela história de Braga”.
O júri, constituído por Maria do Carmo Franco Ribeiro, Miguel Sopas Bandeira e Armando Malheiro da Silva, deliberou ainda nomear três menções honrosas para os trabalhos “A vivência da Morte e a Salvação da Alma na Braga Setecentista” de Norberto Ferraz, “Entre a Clausura e o século: O recolhimento de Santo António do Campo da Vinha sob a administração da Misericórdia de Braga (séculos XVII-XVIII)” de Manuela Machado e à obra “Os focos que nos desunem” da autoria conjunta de Joaquim Martins e José Soares.
Recorde-se que o valor do prémio é de 2.500 euros, ao qual acresce a publicação da obra vencedora. Por sua vez, os trabalhos distinguidos com menção honrosa terão reservada a possibilidade de publicação na Revista Bracara Augusta.
A I edição deste prémio bienal, que contou com treze trabalhos a concurso, destinava-se a cidadãos de nacionalidade portuguesa, maiores de idade, residentes ou não na área do Município de Braga. As temáticas a apresentar deveriam ser de teor historiográfico relativos a Braga – a nível administrativo, antropológico, patrimonial, político, económico, cultural, artístico, religioso ou outros.
A sessão de entrega deste Prémio terá lugar no Salão Nobre da Reitoria pelas 17:OOh.

A Biblioteca Pública de Braga associou-se, desde a primeira hora, à atribuição deste prémio instituído pelo Município e tem a particular satisfação em convidar a comunidade académica a participar nesta sessão.

segunda-feira, 20 de março de 2017

ENTREGA DO PRÉMIO DR. MANUEL MONTEIRO




BRACARENSE, REPUBLICANO, HISTORIADOR DE ARTE



Exmo.(os) Senhores,

O Município de Braga, através do Pelouro da Cultura, tem o prazer de convidar Vossa Exa, a estar presente na cerimónia de entrega do prémio do concurso  de História  Local “Dr. Manuel Monteiro”, que se vai  realizar  no dia 28 de Março, pelas 17h00m, no salão Nobre da Reitoria da Universidade do Minho.

Contamos com a vossa presença.

Com os melhores cumprimentos,






Palmira Brandão


Divisão de Cultura – Arquivo Municipal

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Trabalho "MEMÓRIAS DO COUTO DE TIBÃES" VENCE CONCURSO



Prémio Dr. Manuel Monteiro


quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

José Carlos Peixoto é o vencedor do Prémio Manuel Monteiro

José Carlos Peixoto é o vencedor do Prémio Manuel Monteiro18/01/2017
O Município de Braga anuncia hoje, 18 de Janeiro, dia do aniversário do falecimento de Manuel Monteiro, o vencedor do Prémio de História Local, que pretende honrar a memória deste ilustre escritor, arqueólogo, etnólogo, magistrado, diplomata e crítico de arte bracarense.
O bracarense José Carlos Gonçalves Peixoto, com a obra “Memórias do Couto de Tibães”, é o galardoado com a primeira edição deste prémio que nasceu com o propósito de “fomentar o interesse dos investigadores pela história de Braga”.
O júri, constituído por Maria do Carmo Franco Ribeiro, Miguel Sopas Bandeira e Armando Malheiro da Silva, deliberou ainda nomear três menções honrosas para os trabalhos “A vivência da Morte e a Salvação da Alma na Braga Setecentista” de Norberto Ferraz, “Entre a Clausura e o século: O recolhimento de Santo António do Campo da Vinha sob a administração da Misericórdia de Braga (séculos XVII-XVIII)” de Manuela Machado e à obra “Os focos que nos desunem” da autoria conjunta de Joaquim Martins e José Soares.
Recorde-se que o valor deste prémio é de 2.500 euros, ao qual acresce a publicação da obra vencedora. Por sua vez, os trabalhos distinguidos com menção honrosa terão reservada a possibilidade de publicação na Revista Bracara Augusta.
A I edição deste prémio bienal, que contou com treze trabalhos a concurso, destinou-se a cidadãos de nacionalidade portuguesa, maiores de idade, residentes ou não na área do Município de Braga. As temáticas a apresentar deveriam ser de teor historiográfico relativos a Braga – a nível administrativo, antropológico, patrimonial, político, económico, cultural, artístico, religioso ou outros.
A cerimónia de entrega do Prémio Manuel Monteiro decorrerá numa sessão pública agendada para 28 de Março, Dia dos Centros Históricos.
Município de Braga, 18 de Janeiro de 2017

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016


segunda-feira, 5 de setembro de 2016

REPORTAGEM SOBRE O DIA DA FREGUESIA

quinta-feira, 1 de setembro de 2016

DIA DA FREGUESIA
MIRE DE TIBÃES


quinta-feira, 21 de abril de 2016

Marcos de Mire de Tibães

património de interesse municipal



A Assembleia Municipal de Braga, em sessão ordinária de 12 de fevereiro de 2016, aprovou por unanimidade, a proposta de Classificação de Património de Interesse Municipal, os Marcos da Freguesia de Mire de Tibães, tendo sido, anteriormente, aprovada em reunião do Executivo Municipal de 1 de fevereiro de 2016.

Ver Reportagem do Porto Canal.
http://videos.sapo.ao/2qb0eLIy3mLBUI3p02tL

sexta-feira, 15 de abril de 2016

A estabilidade do sistema educativo

fomenta o entusiasmo



Título de uma entrevista. Ver
http://www.educare.pt/noticias/noticia/ver/?id=110662&langid=1




sábado, 26 de março de 2016

ADRIANA HENRIQUES EXPÕE NO ALTO LINDOSO


Natural de Salamonde, a artista plástica Adriana Henriques expõe na barragem do Alto Lindoso, com uma excelente exposição subordinada ao tema «Máquinas Alternativas», acompanhada de um texto da nossa autoria.
A revista SIM publicou, no n,º 182, de março de 2016, um texto proporcionado pela EDP à visita à exposição.

terça-feira, 15 de março de 2016

PÁSCOA

Braga é conhecida em todo o mundo pelas solenidades da semana santa.
Para todos aqui vai um símbolo importante da semana santa bracarense.



segunda-feira, 14 de março de 2016

UMA VIAGEM À CENTRAL DO ALTO LINDOSO

A convite da artista plástica Adriana Henriques e da EDP, um grupos de amigos visitou, recentemente, a barragem e a central hidroelétrica do Alto Lindoso.
Aproveitamos para ver a excelente exposição «Máquinas Alternativas» de Adriana Henriques, no salão «Machine Hall» onde, outrora, teve lugar um grande espetáculo de Paulo Gonzo sobre a Água.








domingo, 27 de dezembro de 2015

exposição de miguel louro

Intervenções do Cón. José Paulo e do prof. José Carlos G. Peixoto no momento de abertura.

https://youtu.be/Mit4B26SY8s


terça-feira, 22 de dezembro de 2015

MENSAGEM DE NATAL

Estamos a chegar àquele dia, àquela quadra, em que os nossos sentimentos estão mais à flor da pele.
As comemorações do Natal, por vezes, causam algum ruído, quando devem ser marcadas pelo desejo de um novo viver e de um novo caminhar, semear o amor e a paz.
É o momento de deixar nascer dentro de nós, o Menino Jesus, simbolizado na esperança, na solidariedade, na harmonia, na partilha.
O ser humano vale por aquilo que faz. É tempo de refazer planos, reconsiderar os equívocos, e retomar os caminhos que nos levam a ser mais felizes.
Desejo-vos um Natal Feliz e brilhante de alegria, na companhia de quem mais gostais.

José Carlos Gonçalves Peixoto

segunda-feira, 5 de outubro de 2015

PELOS MARCOS DE SANTA MARIA DE MIRE

No passado dia 3 de outubro realizou-se uma caminhada pela extinta freguesia de Santa Maria de Mire, promovida pela Junta de Freguesia, GAMT e Grupo de Jovens. As fotos são de Diogo Adalberto Vieira.

quarta-feira, 30 de setembro de 2015

HINO DO BOM JESUS DO MONTE

Hino comemorativo do centenário do templo do Bom Jesus do Monte (1884), da autoria de Dias Costa e letra de Pereira Caldas.


sexta-feira, 25 de setembro de 2015

FUNDADOR DO ELEVADOR, SENHOR DE BRAGA E DO BOM JESUS

RESUMO: Decorridos cento e vinte anos da morte de um dos maiores empresários da segunda metade do século XIX, procuramos homenagear o fundador do Ascensor do Bom Jesus do Monte, um bem patrimonial com valor universal, e, sobretudo, lançar mais luz sobre a vida e a obra de Manuel Joaquim Gomes, no âmbito histórico, cultural e económico.
A sua ligação e devoção ao Bom Jesus era muito estreita e empática, pois o contexto de onde se vem e no qual se cresce influi naquilo em que se converterá como pessoa. Desde pequeno se habituou a fazer o trajeto do Bom Jesus para Braga, para se deslocar para o trabalho, sempre atento aos detalhes, sabendo captar o bucolismo da paisagem, a atmosfera do lugar e o rasto dos peregrinos da estância.
Além de criador do funicular, o mais longevo a nível mundial quanto ao seu modo de funcionamento por contrapeso de água, foi o impulsionador dos transportes ferroviários em Braga. A partir desta cidade exportou toda a tecnologia e experiência e participou ativamente na instalação da «Companhia dos Ascensores Mecânicos», para exploração e construção dos elevadores nas colinas de Lisboa.
Também deixou a sua marca de homem público, de grande empreendedor e dinâmico empresário em outras áreas de atividade: como acionista e diretor da fábrica de Ruães, na atividade bancária e panificação, na indústria hoteleira, na exploração e certificação das águas do Gerês e como vereador da câmara municipal.
Palavras-chave: Ascensor, transportes ferroviários, arquitetura industrial, indústria hoteleira, indústria panificadora, atividade bancária, termalismo.

ABSTRACT: One hundred and twenty years have passed after the death of one of the greatest entrepreneurs of the second half of the nineteenth century, so today we seek to honour the founder of the Lift of Bom Jesus do Monte, an asset with universal value, and above all, shed more light on the life and work of Manuel Joaquim Gomes, in the historical, cultural and economic context.
His connection and devotion to Bom Jesus was very close and empathetic, since the context of where one comes from and where one grows influences in what you will become as a person. Since little boy, he is accustomed to make the path Bom Jesus - Braga, to go to work, always attentive to detail, knowing how to capture the bucolic landscape, the atmosphere of the place and the trail of the pilgrims.
Besides being the Funicular creator, the longest-lived in the world as to its mode of operation for water balance, he promoted the railway transport in Braga. From this city he exported all the technology and experience and actively participated in the installation of «Company of Mechanical Elevators» for the exploration and construction of lifts in the hills of Lisbon.
Also left his mark as a public man, a great entrepreneur and dynamic businessman in other areas of activity: as a shareholder and director of Ruães factory, both in banking and baking, in the hotel industry, in the operation and certification of Gerês waters and as alderman of the town hall.

Keywords: Lift, rail, industrial architecture, hotel industry, bakery industry, banking, Hydrotherapy.

(Artigo publicado na Revista Bracara Augusta, Câmara Municipal de Braga, Vol. LIX, n.º 117(130), ano de 2014, pp.233-275.

terça-feira, 7 de abril de 2015

Destruição de Património Industrial em Ruães

 

Numa busca por grandes empresas fundadas no século XIX, na região, salta à vista, imediatamente, a Fábrica de Ruães, apesar de o nome original ter sido substituído, posteriormente, por Companhia Fabril do Cávado. Não obstante, sobretudo na área do baixo Cávado, a empresa parece ter continuado a ser referida, vulgarmente, como Fábrica de Ruães, pujante indústria portuguesa, que, sem dúvida, dominou o panorama industrial da zona por cerca de um século, onde se fabricava um primoroso papel que foi premiado na Exposição de Londres e os mais variados tecidos destinados à exportação.
Mas, infelizmente, os Bárbaros do século XXI acabaram por destruir e demolir, nos últimos dias, os poucos vestígios desse património industrial. Ainda, recentemente, neste Blog apelávamos para a salvação das belas «chaminés da fábrica».

SONY DSC fábrica de ruães chaminé1
fábrica de ruães entrada2 fábrica de ruães chaminé

terça-feira, 23 de dezembro de 2014

BOAS FESTAS

AOS MEUS AMIGOS

Nesta época de magia, envio votos sinceros de Boas Festas, Bom Natal e Próspero Ano Novo. Não se esqueçam de serem felizes, de respirar paz, de espalhar esperança, alegria e amor.

Faça-se Natal.

IMG_3538

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

CAMINHADA PELOS MARCOS DE SANTA MARIA DE MIRE

Promovida pelo Mosteiro e Junta de Freguesia de Tibães, teve lugar no passado dia 15, um caminhada com cerca de 12 Kms, pelo património demarcativo da freguesia de Mire.

IMG_3993 IMG_4036
IMG_4026 IMG_4027
IMG_4028 IMG_4029
IMG_4047 IMG_4059

quinta-feira, 13 de novembro de 2014

NA CERCA DO MOSTEIRO DE TIBÃES – FOTO ANTIGA

SONY DSC

terça-feira, 11 de novembro de 2014

CANTIGAS DE TIBÃES

Neste dia de S. Martinho, padroeiro da minha freguesia, divulgo algumas cantigas sobre Tibães, que os antigos cantavam e declamavam.
Lembro-me, muito bem, como o Sr. Abílio Campos, em momentos de convívio, cantava e encantava com estas estrofes e com a sua voz pura e bem afinada.

cantigas de tibães